Blog

Orçamento ou Planejamento: o que vem primeiro?

Capa_Orçamento_ou_Planejamento_Engenharia_Disruptiva

O que? Como? Quanto? Quando? Essas são perguntas imediatas quando temos um projeto pela frente. E essas quatro questões já nos direcionam e demonstram a importância que as etapas de orçamento e planejamento têm no desenvolvimento de qualquer projeto na construção civil.

O orçamento está mais ligado a “o que” e “quanto”, enquanto o planejamento nos remete mais a “como” e “quando”. Claramente há interdependência entre as repostas dessas questões, mas quais respostas buscar primeiro? Como resolver de forma equilibrada as relações entre elas?

Essa é uma dúvida muito comum na construção civil e, na maioria das vezes, as opiniões convergem na conclusão de que não é possível desvincular as duas etapas. Porém na prática, apesar de isso fazer total sentido, o que ocorre geralmente não é isso, e ainda são raras as exceções.

.

Orçamento Genérico; Planejamento Limitado.

.

Em geral, o que se vê são orçamentos preparados muito antes de se pensar em planejamento, baseados em prazos predeterminados, coeficientes e composições médias, valores unitários obtidos de cotações genéricas. Além disso, muitas vezes os valores globais aproximados já são conhecidos através de índices de preços da construção, de modo que orçamentos próximos destes valores são aceitos sem muita análise crítica.

Ou seja, o orçamento se torna muito mais um preenchimento de planilhas de preços, sem que seja feito um estudo de custos da obra por observação das suas particularidades, simulações de antecipação de prazo, estudos logísticos, etc.

Mais à frente, na fase de mobilização da obra e início da construção, o planejamento começa a ser desenhado. Porém muitas oportunidades descobertas neste momento acabam limitadas pelo orçamento, que pode não ter verba ou prazo previstos para tal. Claramente se nota que nessa fase tudo já deveria estar planejado, plano de ataque da obra montado e as principais estratégias debatidas antecipadamente.

O resultado disso?

Nas planilhas, retrabalho para revisões significativas do orçamento ou então planejamentos distantes do que seria ideal. Na obra, bastante dificuldade em atender custos e prazos previstos para cada centro de custo.

A_Orçamento_ou_Planejamento_Engenharia_Disruptiva

.

Mudança de cenário necessária.

.

O que foi exposto no tópico acima nos remete à seguinte reflexão: mas então, o que fazer para mudar esse cenário?

Pois bem, no que está ao seu alcance, projetos e obras em que participa, na construtora onde trabalha, procure desenvolver as etapas de orçamento e planejamento em paralelo. Questione como é feito hoje, enxergue oportunidades de melhoria. Com o avanço no detalhamento do orçamento poderá observar que o planejamento tem muito mais influência sobre os custos e composições que o contrário.

Com um pouco de estudo fica relativamente fácil identificar alguns aspectos em que um é dependente do outro. Vejamos alguns exemplos:

Aspectos do orçamento que podem depender do planejamento:

  • Mobilização de equipamentos
  • Quantidade de turnos
  • Dimensionamento do canteiro
  • Pacotes de serviços e coeficientes de produtividade
  • Prazo global (diretamente ligado aos custos fixos do projeto)

Aspectos do planejamento que podem depender do orçamento:

  • Metas de produção
  • Índices e centros de custos para apropriação
  • Quantitativos de materiais e serviços
  • Relação de insumos por serviço/etapa

Mas atenção, essa relação é diretamente influenciada pela metodologia aplicada no desenvolvimento do projeto, por isso o uso da expressão “podem depender”. Existem várias maneiras de se planejar uma obra, e cada uma depende mais ou menos do orçamento, assim como entrega mais ou menos informações para a elaboração do orçamento.

Complementando a ideia, e nos voltando para o âmbito geral, é desejável e necessário que licitações de obras públicas e concorrências sejam cada vez mais exigentes na apresentação do orçamento e planejamento em conjunto, com detalhamento do plano de ataque e estratégias utilizadas. As próprias construtoras devem se interessar por isso, pois é uma grande oportunidade de potencializar o desempenho e maximizar os lucros.

C_Orçamento_ou_Planejamento_Engenharia_Disruptiva

.

Analisando um pouco além…

.

Como dito no início, as exceções existem, e há profissionais e empresas no mercado que já desenvolvem os trabalhos de maneira mais próxima do ideal, que estão a frente do senso comum. Então te convidamos a mais uma reflexão:

Se no seu convívio o cenário já mudou, será que orçamento e planejamento estão sendo abordados da melhor forma? Desenvolvê-los em paralelo está trazendo os resultados esperados?

Essas questões vão de encontro a algumas práticas rotineiras que por vezes já não trazem mais evoluções ao processo e, consequentemente, não exploram os limites do plano de ataque da obra.

Por exemplo, é muito comum a utilização da EAP do orçamento para montagem do planejamento, assim como determinar os prazos dos serviços baseados apenas nos coeficientes das composições. Essa prática muitas vezes acaba limitando o planejamento, determina um layout ruim para leitura e interpretação das atividades pela equipe administrativa, além de travar muito o dimensionamento e gerenciamento dos serviços na execução da obra.

Por outro lado, é comum o planejamento levar em conta o melhor desempenho de cada serviço isoladamente, o que não necessariamente reflete no melhor desempenho de custo da obra como um todo e não resolve bem a estratégia logística da obra.

B_Orçamento_ou_Planejamento_Engenharia_Disruptiva

.

Este conteúdo é de seu interesse? Pois então fique atendo, orçamento e planejamento serão muito discutidos em nossas publicações, e compõem uma etapa de grande importância em qualquer projeto. Todo profissional da área que busca destaque e se diferenciar dos demais deve se interessar no aprofundamento deste conhecimento.

Ative as notificações de publicações do nosso perfil no Instagram e compartilhe com seus amigos e parceiros de profissão.

Deixe o seu comentário