Blog

Execução de Alvenaria Estrutural Conforme ABNT NBR 16.868

blog_engenharia_disruptiva_4

As normas brasileiras da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, são responsáveis por regulamentar e padronizar a execução das obras, concepção de projetos, produção dos materiais, verificações e ensaios, dentre outras etapas envolvidas com o mercado da construção civil no Brasil, dispondo de diversos requisitos para os mais variados assuntos.

No dia 10/08/20 tivemos uma alteração nas normas de Alvenaria Estrutural, com o cancelamento da ABNT NBR 15.961 Alvenaria estrutural – Blocos de concreto e o lançamento da nova norma ABNT NBR 16.868 Alvenaria estrutural.

Pensando nisso, preparamos um conteúdo para apresentar quais são os principais requisitos normativos para a correta execução da Alvenaria Estrutural, de acordo com a nova norma.

A ABNT NBR 16.868 Alvenaria estrutural, é dividida em três partes, sendo a primeira parte sobre as diretrizes para a concepção dos projetos, a segunda parte apresenta os critérios para a correta execução da alvenaria estrutural e já a terceira parte, trata dos métodos de ensaios.

ABNT NBR 16.868 Alvenaria estrutural: Parte 1 – Projeto

ABNT NBR 16.868 Alvenaria estrutural: Parte 2 – Execução e controle de obras

ABNT NBR 16.868 Alvenaria estrutural: Parte 3 – Métodos de ensaio

Neste conteúdo, vamos focar nas diretrizes de produção da alvenaria, mais especificamente a seção 9 da parte 2 da norma, sendo dividida em três requisitos e seus sub requisitos, conforme detalhados a seguir:

9.1 Requisitos

9.2 Locação das paredes de alvenaria

  • 9.2.1 Eixos referências planimétricos
  • 9.2.2 Tolerâncias da variação do nível da superfície dos pavimentos
  • 9.2.3 Espessura da junta horizontal da primeira fiada

9.3 Elevação e respaldo das paredes de alvenaria

  • 9.3.1 Assentamento dos blocos
  • 9.3.2 Espessura das juntas horizontais e verticais
  • 9.3.3 Tipos de juntas de argamassa
  • 9.3.4 Prumo, nível e alinhamento dos elementos de alvenaria
  • 9.3.5 Vigas, contravergas e cintas
  • 9.3.6 Armaduras
  • 9.3.7 Grauteamento

Confira a seguir, o detalhamento dos requisitos e como executar a alvenaria de acordo com a norma. Frisamos que a consulta à norma é indispensável, sendo este conteúdo um apoio para seu entendimento.

9.1 Requisitos

Antes da execução da alvenaria, devem ser verificados os itens a seguir.

  1. A locação, esquadro e nivelamento da base de assentamento
  2. O posicionamento dos reforços metálicos e das tubulações, se aplicável.
  3. A limpeza do pavimento.
  4. A limpeza dos componentes blocos e peças pré-fabricadas

9.2 Locação das paredes de alvenaria

A marcação da alvenaria influência na precisão geométrica do conjunto de paredes, portanto, o projeto deve indicar os eixos de referência para a conferência na obra.

A variação do nível da superfície não deve ultrapassar +- 10 mm.

 

engenharia disruptiva
A espessura da junta horizontal de argamassa da primeira fiada deve ser entre 5 e 20 mm.

9.3.1 Assentamento dos blocos

Durante a execução, os blocos devem ser assentados e alinhados conforme projeto, de forma a exigir o mínimo de ajuste possível, enquanto a argamassa estiver trabalhável e plástica.

blog_engenharia_disruptiva_4

9.3.2 Espessura das juntas horizontais e verticais

As juntas horizontais de argamassa devem ter espessuras de 10 mm, com exceção a primeira fiada.

As juntas verticais de argamassa devem ter espessuras de 10 mm, exceto se forem especificados valores diferentes no projeto.

A variação máxima da junta deve ser de +- 3 mm.

engenharia disrutiva

9.3.3 tipos de juntas de argamassa

A junta vertical de argamassa deve sempre ser preenchida. Para edifícios com ate cinco pavimentos, seu preenchimento pode ser posterior a elevação total da alvenaria, sendo aplicada com a utilização de uma bisnaga com pressão suficiente para assegurar a largura mínima do filete de argamassa.

  •  As juntas horizontais devem ser feitas com a colocação de argamassa sobre as paredes longitudinais e transversais dos blocos.
  • As juntas verticais devem ser preenchidas com a aplicação de dois filetes de argamassa na parede lateral dos blocos, que devem ser de no mínimo 30 mm.

A descontinuidade das juntas e espessuras podem comprometer o desempenho acústico e térmico das paredes, bem como sua estanqueidade.

9.3.4 Prumo, nível e alinhamento dos elementos de alvenaria

O desaprumo e o desalinhamento máximo das paredes do pavimento não podem superar 10 mm, além de atender ao limite de 2 mm/m.

Na altura total do prédio o máximo desaprumo admitido é de 25 mm.

engenharia disrutriva
O nível superior da fiada de respaldo deve ser tal que não haja variação na altura final do pé-direito do pavimento, sendo menor do que 5 mm ou maior do que 10 mm do especificado em projeto.

9.3.5 Vigas, contravergas e cintas

As contravergas em vãos de janela e as vergas sobre vãos de porta e janela podem ser executadas com canaletas preenchidas com graute e armadura, peças pré-moldadas no local ou peças pré-fabricadas.

Em cada pavimento, preferencialmente na fiada de respaldo (ultima fiada), deve ser executado uma cinta contínua, solidarizando todas as paredes. Esta cinta pode ser executada com blocos especiais, tipo canaleta, ou com formas.

O grauteamento dessa cinta deve preceder a montagem das formas de laje.

9.3.6 Armaduras

As armaduras devem ser colocadas de tal forma que se mantenham na posição especificada durante o grauteamento. Podem ser utilizados espaçadores adequados para garantir o cobrimento.

É admitido um erro máximo de 1 cm no posicionamento da armadura em seções fletidas com dimensões inferiores a 20 cm. Para seções comprimidas ou superiores a 20 cm, o erro máximo de posicionamento da armadura é de 2 cm.

9.3.7 Grauteamento

Para o grauteamento, devem ser observados os itens a seguir:

  • Alinhamento e desobstrução dos furos, sendo necessário a limpeza das rebarbas de argamassa.
  • A altura máxima de lançamento do graute deve ser de 1,6 m. Grautes aditivados podem ser aplicados a alturas superiores, desde que garantida a coesão sem segregação.
  • Devem ser molhados todos os vazados que serão grauteados.
  • No adensamento manual, deve-se empregar haste entre 10 mm e 15 mm de diâmetro, não sendo permitido utilizar a armadura da parede para esse adensamento.
  • Devem ser criadas janelas de visita nos pontos a serem grauteados, para inspecionar a operação e garantir o preenchimento.

blog_engenharia_disruptiva_4

Seguindo as diretrizes apresentadas neste conteúdo, você estará executando a alvenaria em acordo com as exigências normativas. Lembrando que a consulta à norma é indispensável.

1 Comment(s)

  1. Marcos Reis
    28 de outubro de 2020

    Gostei da desta publicação. Excelente conteúdo! Obrigado!

Deixe o seu comentário